segunda-feira, 12 de julho de 2021

Apenas 4% das pequenas e médias empresas já estão preparadas para a LGPD

 A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) deve começar a multar empresas a partir do mês — com valores de até 2% do faturamento do último exercício da pessoa jurídica de direito privado, do grupo ou conglomerado, e teto de R$ 52 milhões. Sancionada em 2018, ela está em vigor desde agosto de 2020, mas muitas companhias ainda buscam adequar suas operações aos requisitos da norma.


Entre as pequenas e médias empresas (PMEs), por exemplo, apenas 4% estão totalmente preparadas para a nova legislação. Os dados são de uma pesquisa da BluePex, que desenvolve soluções de segurança da informação para o mercado corporativo.

O levantamento aponta, ainda, que 55% das empresas estão em busca de informações para se ajustar à LGPD. Além disso, 27% se consideram parcialmente preparadas, enquanto 12% ainda não iniciaram nenhuma ação para a adequação.

A BluePex fez uma pesquisa semelhante em outubro de 2020. Na ocasião, 2% das companhias garantiram estar preparadas. Apesar do leve crescimento, Jefferson Penteado, CEO da companhia, diz que todas as organizações que lidam com as informações devem aproveitar o período sem multas para se adaptar à LGPD. “O descumprimento das regras será punido com multas que variam de 2% do faturamento bruto até R$ 52 milhões (por infração)”, destaca.

Essa adaptação envolve diversos setores da companhia: do departamento de vendas ao jurídico. A pesquisa da BluePex, entretanto, indica que 37% das empresas acreditam que a responsabilidade pela conformidade é apenas da equipe de tecnologia da informação.

Penteado explica que o setor de TI é um dos protagonistas dessa nova realidade, já que deve lidar da melhor maneira com os dados coletados, mas outras áreas devem se envolver. “A LGPD afeta todos os setores, principalmente os que tratam com grande volume de dados pessoais, como RH, atendimento ao consumidor, comercial, pós-vendas, marketing e outros.”

                                                                            FONTE:CANALTECH



0 comentários: