quinta-feira, 22 de julho de 2021

Malware que rouba senhas do Windows se espalha em anúncios pagos de buscadores

 Um novo tipo de malware está usando os anúncios exibidos em buscadores como o Google e o Bing para se espalhar. Descoberta pela empresa de segurança BitDefender, a ameaça é capaz de roubar senhas do Windows, instalar mineradores de criptomoedas (cryptojacking) e abrir a porta para que trojans e outras ameaças entrem em uma máquina.

O malware foi batizado como MosaicLeader e tem como foco o sistema operacional da Microsoft, criando exceções no Windows Defender para nomes de arquivos específicos. A BitDefender afirma que o nome foi escolhido pela estrutura interna intrincada da ameaça, que tem como objetivo evitar sua engenharia reversa e a análise por especialistas de segurança.

O MosaicLeader se espalha a partir de anúncios pagos, que prometem oferecer a usuários interessados o download de softwares pirateados. Ao se infiltrar em um sistema, ele cria uma cadeia complexa de processos e tenta baixar diversas ameaças adicionais, incluindo ladrões de cookies, mineradores e até mesmo backdoors (pragas que abrem brechas de acesso) como o Glupteba.

Imagem: Captura de Tela/Felipe Gugelmin/Canaltech

Para evitar a desconfiança das vítimas, o MosaicLeader reproduz todas as informações e sistemas de arquivos dos softwares que promete oferecer gratuitamente. No entanto, apesar de nomes e estruturas de pastas serem copiadas, somente o programa malicioso realmente é instalado nas máquinas das vítimas.

Usuários domésticos são os principais alvos

A análise conduzida pela empresa de segurança mostra que o malware não tem como alvo países ou organizações específicas. No entanto, como ele está associado ao download ilegal de produtos protegidos, a expectativa é que as principais vítimas sejam usuários domésticos em busca de programadas crackeados.

Imagem: Captura de Tela/Felipe Gugelmin/Canaltech

A distribuição através de sistemas de busca traz um risco adicional, visto que os anúncios pagos tendem a ganhar mais destaque sobre aqueles considerados legítimos. Como essas propagandas são adquiridas através de um sistema automatizado, são poucas as chances de que as empresas que o operam saibam que os links promovidos contêm malwares antes que eles sejam denunciados.

A BitDefender aconselha que usuários que desejam se manter à salvo do malware devem evitar o download de qualquer arquivo de sites suspeitos, especialmente aqueles que prometem versões desbloqueadas e gratuitas de apps pagos. Ela também aconselha que empresas adotem proteções adicionais para evitar que funcionários em sistemas de Home Office sejam afetados.

                                                                            FONTE:CANALTECH


0 comentários: