quarta-feira, 23 de outubro de 2019

O futuro do business intelligence e as maneiras estratégicas de usá-lo na sua empresa



Ao longo dos anos, vários aspectos dentro de uma empresa foram considerados como sendo o mais importante, desde a capacidade produtiva até o alcance do marketing, passando pela força de vendas e pela rentabilidade. Hoje, grande parte do mercado considera que o poder está na informação, especialmente aquela de qualidade. Afinal, quanto mais dados um negócio tem sobre ele mesmo, mais consegue se preparar para aumentar sua competitividade e crescer. E uma das principais ferramentas para auxiliar nessa reunião e análise de dados é, sem dúvidas, o business intelligence (BI).

Já falamos sobre o BI aqui no blog, mas quando o assunto é importante para o desenvolvimento das empresas, nada impede que voltemos a ele, certo? Só que agora, além de repassar seu conceito, vamos mostrar como as organizações podem usá-lo de forma estratégica para buscar a dianteira frente aos concorrentes.

BI: a união de tecnologia e estratégia


Podemos definir o business intelligence como um conjunto de técnicas e ferramentas que utiliza a análise de dados para gerar informações qualificadas e melhorar o processo de tomada de decisão em uma empresa. Ele auxilia os empresários e seus gestores a terem um conhecimento mais amplo sobre a realidade do negócio e do mercado, ao mesmo tempo em que oferece o detalhamento necessário de cada área para que problemas pontuais sejam detectados e respostas sejam encontradas com mais agilidade.


Mas não se engane: o BI não é apenas um software ou um esquema de trabalho. Podemos dizer que ele é a união entre a tecnologia e a estratégia para facilitar o entendimento das atividades diárias e a busca pelas melhores soluções dentro de uma empresa. Ao ser adotado em uma indústria, por exemplo, ele usa a tecnologia ― que pode ser um software de gestão, como o ERP Radar Empresarial ― para reunir em uma mesma plataforma as informações sobre todos os setores, desde a produção até o administrativo, e cruzá-las de maneira que forneçam relatórios sobre a situação geral do negócio.


Com esses relatórios em mãos, ou na tela do computador, é a hora de usar a estratégia, que começa pela análise que o dono do negócio e seus gestores vão fazer dos números e indicadores trazidos nesses documentos e vai até o encontro de soluções para manter a sustentabilidade e a competitividade do negócio, como a otimização de processos, a verificação da necessidade de investimentos e a redução de custos.


A princípio, o conceito pode até parecer complexo, mas na prática, o BI é algo simples. Pense sempre que ele apenas é uma das maneiras de organizar e analisar os dados da sua empresa, só que usando bastante a tecnologia e os resultados obtidos a partir dela para consertar um erro ou impulsionar ainda mais o crescimento do negócio.


O mercado de business intelligence e o futuro



Muitos empresários ainda não usam o BI em seus empreendimentos, mas isso é considerado apenas uma questão de tempo. Uma pesquisa feita em 2016 pelo IDC, principal fornecedor mundial de inteligência de mercado, serviços de consultoria e eventos na área TI, aponta que se as organizações esperam aumentar suas receitas e a participação no mercado, elas precisam se comprometer a fazer uma transformação digital em grande escala, incluindo mudanças culturais e operacionais.


E pelo valor dos investimentos que vemos ao redor do mundo, não vai demorar muito para que a maioria das empresas adotem práticas de business intelligence. A Forbes, por exemplo, publicou um compilado de informações sobre o mercado de BI no mundo e os números mostram que a tendência é positiva, apontando, inclusive, para o início de um período de consolidação no uso dessa ferramenta.

Entre os números, podemos destacar um que indica o crescimento desse mercado. A previsão é que o valor passe de US$ 17,9 bilhões, registrado em 2015, para US$ 26,7 bilhões até 2020, alcançando uma taxa composta anual de crescimento (CAGR) de 8,4%. Os principais responsáveis por esse crescimento são os bancos, os serviços financeiros, as seguradoras, os varejistas e as empresas de TI e telecomunicações.

Maneiras estratégicas de usar o BI


Como vimos, o uso do BI no dia a dia de uma empresa não é algo tão distante como muitos empresários costumam pensar e, pelo valor dos investimentos nos próximos anos, daqui a pouco a maioria das empresas vai incorporar essa ferramenta no seu processo de gestão. O interessante, então, é sair na frente dos concorrentes e já começar a usar o BI de forma estratégica, não é verdade?
Para ajudá-lo, vamos mostrar alguns caminhos que sua empresa pode tomar para usar o business intelligence e conquistar excelentes resultados. Confira:

1 – Uso de gráficos mais criativos


Não basta reunir as informações, é preciso saber apresentá-las de uma maneira que facilite seu entendimento. Com o apoio do BI é possível exibir os dados em gráficos, tabelas e outros formatos, que podem ser personalizados conforme a preferência e a necessidade do empresário e de seus gestores. Então, esqueça os relatórios feitos em PowerPoint com os gráficos desenvolvidos no Excel. Com o business intelligence, tudo pode ser feito com muito mais criatividade, acompanhando o perfil da empresa e dos colaboradores.

2 – Aumento das análises preditivas


Quem nunca quis adivinhar o futuro, não é mesmo? Com o BI é possível fazer isso, pelo menos no que diz respeito aos negócios, pois ele dá condições de analisar um grande conjunto de dados visando questões de longo prazo, como investimentos e compras de novos equipamentos e maquinário. 

Conforme a tecnologia escolhida, os empresários e gestores conseguem ter mais flexibilidade e velocidade nos cruzamentos de dados, além de capacidade para construírem modelos mais complexos e preverem os resultados com mais assertividade. Tudo isso gera um grande diferencial competitivo, colocando a empresa à frente da concorrência.

3 – Melhoria no trabalho colaborativo


Com a facilidade na visualização de dados e na usabilidade, o business intelligence faz com que mais usuários consigam ter acesso a informações relevantes do negócio, aumentando e melhorando a participação dos colaboradores na tomada de decisão. Ele também proporciona uma melhora na comunicação, uma vez que é possível compartilhar, por meio da ferramenta, dados e orientações sobre o trabalho.

4 – Fortalecimento da internet das coisas


internet das coisas é uma rede de dispositivos físicos, como veículos, prédios e máquinas, que possuem tecnologia embarcada, sensores e conexão com a rede e são capazes de coletar e transmitir dados. Com o BI, você potencializa a internet das coisas ao analisar esses dados e oferecer informação de qualidade a quem usa os dispositivos.

                                                                                 FONTE:BLOG WK SISTEMAS

0 comentários: