quarta-feira, 30 de junho de 2021

Tentativas de fraudes contra serviços financeiros cresceram 612% no Brasil

 Com a chegada da pandemia, muitas pessoas deixaram de se deslocar para agências bancárias e passaram a usar o celular ou o desktop para realizar movimentações financeiras. Ao mesmo tempo que essa transformação digital trouxe mais comodidade aos clientes, ela também despertou a atenção de criminosos interessados em lucrar com golpes.

Segundo uma pesquisa realizada pela TransUnion, as tentativas de fraudes digitais contra empresas de serviços financeiros aumentaram em 612% no Brasil durante os quatro primeiros meses de 2021. O país fica a frente de uma tendência mundial, que registrou um aumento médio de 149% no número de tentativas de ataques registradas durante o período.

Imagem: Captura de Tela/Canaltech

O estudo afirma que o principal tipo de fraude a atingir o setor financeiro brasileiro é o roubo de identidades, usadas para cometer ações ilegais e prejudicando pessoas reais. Em segundo lugar surge a fraude de cadastro, enquanto a terceira posição é ocupada pela apropriação indevida de contas.

Fraudes exigem mais investimento em segurança

Não é somente o setor financeiro que sofre com a ação de criminosos: tentativas de fraude em todos os setores aumentaram em 24% em todo o mundo. O Brasil novamente registra números acima da média nesse sentido, com uma frequência de tentativas que aumentou em 53% em comparação com os últimos quatro meses de 2020.

“A taxa de tentativas de fraude está aumentando globalmente, especialmente no setor de serviços financeiros, porque os fraudadores entendem que é onde ocorrem as transações de maior valor”, explica Shai Cohen, vice-presidente sênior de Soluções de Fraude Global da TransUnion.

Embora grupos do setor financeiro tenham investido mais recursos em soluções de segurança, a TransUnion afirma que ainda não é a hora de relaxar. À medida que a economia começar a se abrir e a ter um desempenho melhor, as movimentações do setor financeiro devem se intensificar e exigir ambientes seguros, para preservar tanto consumidores quanto empresas.

                                                                             FONTE:CANALTECH

0 comentários: