quarta-feira, 16 de junho de 2021

Verificador de Vazamentos é nova ferramenta para checar dados corporativos

 Cada vez mais frequentes e agressivos no Brasil, ataques que resultam no vazamento de dados já representam uma grande preocupação entre as empresas que operam no país. Atenta à situação, a PSafe, unidade de cibersegurança do CyberLabs, criou o Verificador de Vazamentos, ferramenta gratuita que permite tomar medidas as medidas de segurança necessárias caso seus dados tenham sido expostos na internet.

Parte do serviço de segurança empresarial dfndr enterprise, a ferramenta usa técnicas de inteligência artificial para detectar credenciais vazadas na internet. Ao adicionar seu e-mail corporativo na ferramenta, o usuário recebe em segundos um relatório que mostra a quantidade de vazamentos relacionados ao domínio que foi detectada na Dark Web, Deep Web e internet aberta.


Imagem: Captura de tela/Canaltech
Apesar de mostrar o total de dados que podem ter sido comprometidos, a ferramenta não informa mais detalhes sobre eles. Ao final do relatório enviado pela PSafe, ela oferece a criação de uma conta grátis no dfndr enterprise para aqueles que desejam saber mais detalhes e proteger suas informações.

Maior acessibilidade à proteção de dados

Segundo Marco DeMello, CEO da PSafe, ferramentas como o Verificador de Vazamentos ajudaram a tornar a cibersegurança mais acessível a todos, permitindo que micro, pequenas e médios empresários chequem se já tiveram seus dados expostos. “Sabemos o quanto este tema pode ser complexo e distante da realidade de muitas empresas, mas a certeza é que não pode ser negligenciado”, afirma.

DeMello explica que o cenário de home office pode ajudar a comprometer a segurança de uma organização, e é comum que colaboradores cadastrem seus e-mails corporativos em sites suspeitos, usem sistemas operacionais desatualizados ou redes de internet mal configuradas. Dados vazados na internet podem ser usados por criminosos para deduzir senhas com facilidade, além de servir como porta de entrada para ataques de ransomware.

O executivo alerta que a preocupação deve ser especialmente grande para micro, pequenas e médias empresas, já que uma ação do tipo pode prejudicar severamente seus caixas ou até mesmo levá-las à falência. Com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrando em ação, empresas passam a ser responsáveis pelo vazamento de dados sensíveis de seus clientes, podendo pagar multas que chegam a R$ 50 milhões ou 2% de seu faturamento, o que pode ser devastador para a maioria das organizações do tipo que atuam no Brasil.

                                                                               FONTE:CANALTECH





0 comentários: