quinta-feira, 15 de outubro de 2020

LGPD: Não fique parado. A Lei pegou e exige mudança cultural

 


A Lei Geral de Proteção de Dados (13.709/18) já chegou e já pegou. Mas isso não significa que as transformações virão todas de uma vez. Como destacaram Mariana Blanes, do Martinelli Advogados, e José Pereira Junior, da Intelit, no CDemPauta, realizado nesta quarta-feira, 14/10, é possível que cada empresa se adeque em seu ritmo, com a perspectiva de que as mudanças são positivas para os negócios e para o país. 

“A LGPD vai mudar a forma de a gente fazer negócio a partir de agora. Vai mudar a cultura das empresas. O recado que é que não importa o porte da empresa, não fique parado. Faça o que está dentro do seu alcance, se movimente. E trabalhe aos poucos. Quando a gente olha o cenário completo, assusta. Porque é muita coisa para mexer. Mas vamos fatiando, vamos aos poucos que chegaremos lá. É uma mudança de cultura e não tem como dizer que não vai pegar a lei. A lei já pegou, então vamos trabalhar. Não é fácil e não é da noite para o dia, mas vamos chegar lá e isso vai ser importante para a maturidade do país em termos de negócios”, destacou a gerente jurídica escritório Martinelli Advogados, Mariana Blanes. 

Para o especialista em proteção de dados da Intelit Processos Inteligentes, José Pereira Junior, a LGPD vai logo se transformar em um diferencial competitivo junto a clientes e parceiros. “A LGPD vai impulsionar o crescimento das empresas, vai transformar algo que a maior parte vê apenas como mais uma legislação a ser atendida em um diferencial de fato para a realização de novos negócios. Vai garantir a credibilidade com o cliente final, com os parceiros, e o crescimento da organização como um todo. E isso em nível de Brasil, de país, para transformar a realidade das empresas considerando a privacidade como o centro que ela merece.”

                                                                                                 FONTE:CONVERGENCIA DIGITAL

0 comentários: